Deus a Negação do Impossivel

O Excelso Criador consubstancia a Possibilidade Infinita para todas as direções, em
qualquer setor de trabalho.
Toda edificação aparentemente impossível aos nossos olhos é obra viável desde
que atenda às normas das Leis que nos garantem a liberdade no rumo do Bem
Eterno.
Daí o imperativo justo de nos conservarmos fiéis aos compromissos e deveres
identificados em nosso passo, confiantes na Sabedoria infalível que nos concede
isso ou aquilo conforme a intenção que nos guia impulsos e a perseverança que
demonstremos no serviço a fazer.
Não nos cabe indagar quanto ao futuro sem abraçar as tarefas que o presente nos
descortina.
Imperioso permanecer em ação, preservando a consciência à luz da esperança,
sempre que dificuldades e empecilhos nos enriqueçam o aprendizado, ampliando em
nós o entendimento da Vontade Superior para executar-lhe os desígnios.
Somos chamados à irremovível certeza na vitória da Providência, que nos brinda
incessantemente com o melhor para as nossas almas, segundo o melhor que
oferecemos aos semelhantes.
Sintonizados com a Direção da Vida, nossas fronteiras do possível alcançam os
continentes do Ilimitado.
Deus é a negação do impossível, por isso, disse Jesus:
– “As coisas que são impossíveis aos homens, são possíveis a Deus”.
Resta-nos, assim, agir com serenidade, relegando ao esquecimento os pruridos de
inconformidade que nos despontem no coração, buscando aumentar o rendimento dos
próprios atos, na sementeira do bem, porquanto o Pai de Justiça e de Amor, vela por
todas as criaturas na onisciência perfeita e na infinita bondade.
Antes a doença, confia.
Frente ao fogo da provação, acalma-te e pensa.
Ante o transe difícil, pondera.
O auxílio superior surge sempre.
Estuda a razoabilidade dos teus temores, à face das próprias atividades e
reconhecerás, a breve tempo, que bastas vezes, onde julgamos estar o infortúnio
suscetível de trazer-nos desespero e falências só existe a incompreensão ou a
teimosia que nos impelem simplesmente a fugir do bem que nos procura do Alto.
Espírito: AUGUSTO SILVA.

Fazer

A maioria de nós comete um equívoco brutal, que é confundir “realizar” com “pensar em realizar”.

Outra expressiva maioria confunde “seguir” com “caminhar”. Quando se segue, não se tem a correta consciência do certo e tampouco do errado.

Quando se segue, não se pensa; portanto, não se avalia.

O melhor aprendizado é aquele em que o indivíduo (portanto, único e não dividido) consegue entender seus equívocos e evolui com esta análise.

Desta forma, a tarefa mais importante de um ser humano é, sem qualquer dúvida, saber pensar, lembrando que a evolução vem com a implementação e a realização de suas tarefas.

Nossas existências no planeta, ou vidas como queiram, são concedidas com muito custo e são para que aqui venhamos com a finalidade de realizarmos e, assim, aprendermos.

Só resgataremos, só evoluiremos, só conseguiremos ir em frente de forma inteligente, se realizarmos e, portanto, aprendermos a forma correta de concluir uma tarefa.

Os que nada fazem… Nada aprendem. Os que seguem podem se tornar fanáticos, obtusos.

Os que querem em pouco tempo acham que o dinheiro é tudo.

Os que se envolvem em criticar, um dia vão perceber que pouco ou nada progrediram.

Os que só leem e nada aplicam, são meras “culturas inúteis”.
Existe um livro, grande, grosso, cheio de histórias interessantes, que muitos consideram como a salvação e não percebem que ninguém precisa ser salvo de nada. O que efetivamente precisamos é aprender como nos comportarmos, não fazendo aos outros o que não queremos que façam para nós.

O que poucos se dão conta é que hoje somos o fruto das decisões que tomamos até ontem. Portanto, somos o único timoneiro do nosso barco.

Dias atrás, conversei com uma moça que para poder se ver livre da mãe, que era uma eminente adestradora, casou com um rapaz…

Deu certo o casamento? Claro que não.

Falei com uma mãe que reclamava muito de sua filha porque ela não dava valor para as coisas e não queria trabalhar, apesar de já ter mais de 20 anos. Ganhou um salão de beleza de presente e não sabia o que fazer com ele. Quando ia até lá, só sabia pegar o dinheiro do caixa para sair gastando. Seu pai esqueceu de lhe ensinar a conseguir, a vencer obstáculos e, assim, fazer por si. Sempre lhe deu tudo o que ela pedia…

Nossas crenças é que nos impõem limites. A forma como somos educados ou adestrados é que nos faz estacionar, ou impulsiona a evolução e o nosso crescimento.

São as religiões que estabelecem para nós limites por vezes absurdos. É nossa inércia que, igualmente, nos estabelece limites.

Entre no Google, olhe para o Universo descoberto e pesquisado pelo Hubble e comece a se perguntar: O que sou eu? Que planeta é esse? Que vida é esta que estou levando? Qual o tamanho da minha ignorância?

Feito isso, comece a decidir a seu favor. Não siga ninguém… Um dia, faz anos, vi um catador de lixo em Florianópolis que tinha escrito em seu carrinho:

“Não me siga, também estou perdido!

Faça o mesmo. Siga a sua intuição. Aprenda a decidir a seu favor, e deixe de permanecer perdido.

Fonte: Casa de Caridade Esperança e Fé

Perseverar

“… Aquele que perseverar até o fim será salvo”. – Jesus
(Mateus, 10:22).
Todas as vitórias da criatura são frutos substanciosos da perseverança.
Perseverando na edificação do progresso, mentes e corações, sem cessar, renovam os itinerários da própria vida.
O estudante incipiente chega a ser o erudito professor.
O curioso bisonho transforma-se no artífice genial.
A alma inexperiente atinge a angelitude.
Dar-se-ia constituir o triunfo evolutivo um hino perene à constância no aprendizado.
Sem firmeza e tenacidade, a teoria do projeto jamais deixará o sonho do vir a ser…
Por esse motivo, compete-nos recordar a necessidade imperiosa da perseverança
desde os mínimos cometimentos até às realizações mais expressivas do bem para
atingirmos o êxito duradouro.
Sem a chama da perseverança, a educação não pode patrocinar a iluminação das
consciências; a edificação assistencial não surge na face planetária qual farol benfazejo
asilando os náufragos da viagem terrena, e o “homem de hoje” para maiores
conquistas do “homem de amanhã”.
Se almejares superar a ti mesmo, recorda a firme inflexão da voz do Cristo Excelso: -“aquele que perseverar até o fim será salvo”.
Asila-te na fortaleza da fé viva, lembrando que os transes que te visitam, por mais
profundos e desconcertantes têm limites justos e naturais, e que nos cabe o dever de servir, confiar e esperar, para nossa própria felicidade, aqui e agora, hoje, amanhã e
sempre.

Emmanuel -Francisco Cândido Xavier

Pedido de Amor

Uma história de todos os tempos…

Havia uma linda princesa chamada Noa. Todos os dias, quando o sol estava para se pôr, ela cantava em gratidão por mais um dia. E todo o reino silenciava para ouvir sua linda canção. Todos sentiam uma grande paz. As crianças amavam a voz de Noa. Sua voz era um símbolo de amor dentro do reino.

Um dia, a voz de Noa silenciou. Noa não conseguia falar e nem cantar, e ninguém sabia o porquê. O rei, muito preocupado, pediu ajuda a todos os sábios do reino na tentativa de recuperar a voz da filha. Alguns traziam receitas caseiras, ervas consideradas milagrosas, outros a benziam. Mas nada surtia efeito e, assim, o reino caiu em profunda tristeza. As tardes já não eram tão especiais sem o canto de Noa.

E o tempo foi passando… Noa não era mais vista ao entardecer, e o rei estava em prantos pela dor de sua filha. Mas, numa noite fria, o rei ouviu batidas na porta do castelo. Ele próprio decidiu abri-la, quando viu um pobre mendigo a pedir por comida:
– Senhor dá-me de comer, tenho muita fome.

O rei, vendo o pobre homem, ordenou que dessem de comer ao mendigo. E então o mendigo disse ao rei:
– És um homem tão bondoso! Deste-me de comer quando eu mais precisava. Como posso retribuir tamanha generosidade?

– Não há nada que possas fazer. O meu maior desejo, ninguém pode realizar.Vá com Deus.
E assim, o mendigo saiu do castelo muito agradecido.

No dia seguinte o rei ouviu Noa chamá-lo. Subiu às pressas a escadaria do castelo e não acreditou ao ver que ela havia recuperado a voz. E o reino inteiro festejou pelo milagre ocorrido com Noa. Poderiam ouvir sua voz ao entardecer e os dias seriam felizes novamente. E o rei, em sua tamanha alegria, começou a questionar quem teria feito tal milagre. Foi quando lembrou-se do mendigo que esteve em seu castelo na noite anterior. Ele tinha um olhar diferente quando falou em retribuir ao rei pela comida dada.
– Sim, procurem aquele homem, porque se foi ele quem fez tal milagre, devo agradecer-lhe.

E então, saíram em busca do mendigo e o encontraram na floresta.
– És o mendigo que o rei procura? E o mendigo falou:
– Como está o rei?
– Então és tu quem realizou o milagre? Como conseguiste?
– Nada fiz senhor. Apenas pedi a Deus, com amor, que desse ao rei o que faltava-lhe. E quando pedimos com amor, nem mesmo Deus pode nos negar, pois sendo Ele o Amor, como poderia contrariar o Seu próprio pedido?

Autor Desconhecido