Testes da Vida

O planeta Terra é uma escola com turmas variadas e com uma pedagogia especial e sutil. Nem todos aqueles que aqui estão encarnados perceberam que estão estudando e buscando sua formação espiritual.

A maioria vive num sono profundo onde as ilusões materiais são os sonhos e pesadelos que perturbam a criatura. O ego inflado, o egoísmo, o orgulho e a vaidade são alguns dos soníferos que derrubam esses irmãos. Não podemos estacionar nesse sono profundo! É preciso acordar para a vida! Não podemos perder tempo, pois esse passa rápido e quando menos esperarmos chega ao fim a nossa jornada terrena.

Se fizermos uma avaliação da nossa vida perceberemos que o tempo passou e não realizamos os nossos objetivos… Por sermos espíritos infantis passamos a maior parte da vida reclamando e achando que Deus não é justo. Achamos que somos tão importantes e especiais que não merecemos as provas e expiações pelas quais passamos. Somos o que somos, nem mais e nem menos.

Nesse planeta o mal ainda prevalece, então ele ainda está dentro de nós. É preciso que sejamos testados para nos fortalecermos e deixarmos de ser fracos e desencorajados para a vida.

Só há crescimento quando aprendemos a lição e não nos revoltamos com os testes da vida. Caso haja revolta a lição voltará a bater na nossa porta.

Deus é um pai maravilhoso! Ele sabe o que cada um de seus filhos necessita para burilar o espírito e fazê-lo evoluir. Nada acontece por acaso ou por engano em nossa vida. Tudo esta em perfeita ordem!

Deus nos deu a liberdade de escolher os nossos caminhos e as pessoas que seguem conosco. O que temos hoje na nossa trajetória de vida é o que desejamos em algum momento. Se não agrada está na hora de mudar.

A mudança só ocorre quando amadurecemos e entendemos que somos os responsáveis pelo que plantamos. É preciso olhar para você e para sua vida! A alegria de viver depende da vontade e da coragem de mudar. O tempo voa, mas nunca é tarde para ser feliz!

Revista SER Espírita

No Campo do Mundo

A vida humana é semelhante ao campo comum.

Ao longo de seus vales e montes, encontramos variada flora espiritual.

Nas existências afortunadas e inúteis, vemos frondosas árvores infrutíferas.

Nas almas em sofrimentos, sentimos a poda que melhora a colheita.

Nos corações enrijecidos pelo desencanto, reconhecemos galhos secos ao sopro frio do inverno.

Nos preconceitos e melindres pessoais que impedem a visão da realidade, anotamos a tiririca invasora que habitualmente destrói lavouras e jardins.

Na tristeza e no desânimo, observamos o cupim e o charco prejudiciais, adiando a produção enriquecedora do solo.

Nas recordações enfermiças, identificamos a hera asfixiante.

Nas palavras primorosas, sem atos que as materializem, a benefício das criaturas, catalogamos as belas plantas parasitárias, que exibem flores extravagantes sem proveito.

Nos oportunistas sem mérito, surpreendemos o cipó viril e florido na copa da palmeira, de onde será apeado, a qualquer momento, sem altura própria.

Nos sonhos mortos, registramos as raízes mortas do chão.

O espírito juvenil – chama que independe da forma, do tempo e do espaço, – é a claridade de hoje, expandindo-se na direção de amanhã.

Conservemos, inalteráveis, a atividade, a esperança e o entusiasmo na extensão da Boa Nova.

Aqueles que não desistem de aprender e servir com Jesus, em quaisquer circunstâncias, são os ramos da vida eterna, florindo e frutificando, sem cessar, na seara do bem infinito.

Discípulos de um Mestre, cujo amor jamais envelhece, permaneçamos em sua vanguarda de trabalho e abnegação pelo aperfeiçoamento da Humanidade inteira.

Cristo ontem, hoje e amanhã…

Incorporados, todos nós, ao vigor imperecível do Evangelho, que o privilégio de segui-lo, no campo ilimitado da vida, à plena luz da verdade, seja nossa constante alegria, na grandeza do Sempre.

Francisco Cândido Xavier  – Emmanuel